Um pedaço de terra.

Tinha um pedaço de terra no meu quintal, e por menor que ele se apresentava resolvi dá-lo a atenção devida.

Pouco mais que um palmo, era toda a sua largura.
Existia já uma roseira, plantada à tempos, abandonada,mais insistia em estar ali por algum motivo.
Certa vez, meu marido adoentado, não conteve sua ânsia e vomitou nesse jardim, e dias depois me nasce um pé de goiaba, que era tudo que ele tinha ingerido àquele dia.
Comecei a juntar cascas de legumes, de frutas e de ovos para adubar a terra, confesso que o odor que o adubo exalava desagradava, mais é um passo necessário, já que tinha optado à adubação orgânica.
Comecei mexendo a terra, a posição não ajudava muito, quebrei muitas unhas e as que sobravam ficavam cheias de terra.
E cada vez que fazia esse processo, por mais trabalhoso que fosse, por mais sujeira que fizesse e mais unhas que me custasse, valia à pena!
Em troca, meu jardim crescia, com folhas mais verdinhas e vigorosas e fui presenteada com flores!
Eis que pra minha surpresa, me nascem dois pés de mamão! Deixei!
As flores que haviam nascido atraíram passarinhos e, decerto que eles acabaram por trazer as sementes.

Daí eu me empolguei e mais ainda eu adubei e logo os mamoeiros começaram a dar os primeiros frutos.
Olhando a roseira, que um dia foi pequena, tomava conta de quase todo o muro, e um dos mamoeiros, na sua persistência em crescer desviou dos galhos dela e duas copas se formaram. O outro que nada o impedia cresceu mais alto, mais rápido, porém, de uma copa só.

Fujo de insetos, mais quem tem plantas em casa sabe que eles são necessários para a polinização, então, se quero flores e frutas tenho que respeitar a existência deles.
Até que as borboletas e beija-flores eu gosto de observar, mais quando tentam proximidade eu ainda corro ( kk).
Tamanha felicidade ver a roseira aflorar, um cheiro doce e suave que entra pela janela e um visual incrível, mais passado uns poucos dias as pétalas começam a murchar e me dei conta que precisava podar.
Ai que dozinha, podar àquela plantinha!
(mais tem coisas que precisam ser feitas, por mais que naquele momento nos pareça crueldade.)
Podei! E não passou uma semana, para a roseira dar novos galhos, a maioria com inúmeros botões para mais flores! E agora é assim, podo sempre as que já murcharam pois sei que, se não cortar o que já se foi ,não dou espaço para o novo vir.
Aprendi coisas valiosas observando meu jardim, por mais qua as flores sejam lindas, um dia elas se vão, para outras desabrocharem.
E seus galhos que se punham como obstáculo ao mamoeiro não o impediu de crescer, apesar das contorções que ele se viu obrigado a fazer o fez com mais frutos lhe forçando a ter duas copas.
E a terra que antes não adubada não tinha visitas, hoje super requisitada entre muitas espécies. Vem bicho de todo gosto, uns vem para se alimentar, outros se abrigar e uns outros menos desejados aparecem para estragar.
Entedi que quanto mais fértil meu jardim era, mais bichos apareciam, uns trazendo encanto com sua ilustre presença, outros traziam dissabor, são pragas que se alimentam de tudo, por onde passam deixam apenas a devastação.
Como na nossa vida, há os que vem e ilumina e há os que nos devastam.
Mas quanto mais cuidarmos do nosso jardim, mais visitantes atraímos, borboletas e olídios!
O que não podemos esquecer é que se quisermos colher bons frutos, temos que fazer o trabalho pesado de aerar a terra, que olídios vão aparecer , e olhar pro nosso jardim e ver que mesmo as pragas o cercando não deixam de ser agraciados com a beleza das borboletas.
Não importa o tamanho da terra que tem, entenda que com pouco  há como se plantar. Escolha suas sementes e semeie.

Tem coisa que nasce na terra da gente que não fomos nós que semeamos, escolha o que você deixa criar raiz.

Tem goiabeira que nasce sem pedir licença, porque era da vontade da natureza que ela estivesse lá, a vida as vezes nos dá, mesmo que vomitada, frutos doces pra colher.

Os insetos têm uma razão para existir, tudo faz parte de um ciclo.

Que os obstáculos que se opõem à nossa vontade de crescer estão lá para nos forçar a dar mais frutos.

 

Não se engane, não é tão fácil cuidar da nossa terra quanto parece, mais também nem é tão difícil como à pintam. Já matei flores lindas por adubar demais ou afogadas com tanta água. Já deixei ervas daninhas tomar conta, hoje deixo algumas por compaixão, mais fico observando, bem de perto, logo que vejo que vão atrapalhar o crescimento das outras, cavo a terra o mais fundo que posso e as arraco logo pela raiz.

As cascas que não nos tem utilidade e as ervas daninhas que arrancamos, servem de adubo!

Cuide do seu jardim para que atraia borboletas, quando adubamos a terra da gente atraímos passarinhos que trazem novas sementes.
Antigamente, nos navios à vela, os tripulantes levantavam às velas mesmo sem vento, porque sabiam que o vento uma hora sopraria, erga sua vela, entende? Busque o que você quer, cuide do seu jardim, e deixe depois que o vento sopre.

 

 

O mínimo que acontecerá , você cuidando da sua terra, é olha-la depois e só enxergar flores.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s